quarta-feira, 25 de junho de 2014

MUDAR SEM MUDAR!

Há um tempo, comentava com uma partilhante acerca de uma peculiaridade de nossa região, algo hoje menos visto. Quando eu era pequeno, uma das coisas que me impressionavam eram as casas transportadas em cima de caminhões. Pensava: “como seria possível a um caminhão levar uma casa inteira, levar um lar sobre algumas poucas rodas?”. Hoje mudar de lugar e levar a casa já não é mais possível, a maioria delas é feita de tijolo e cimento. Essa lembrança retrata muitas pessoas que pedem no consultório para mudar de vida, que gostariam de ser diferentes. Mas como seria esse “ser diferente”? Pense um pouco nisso, identifique exatamente o que gostaria de mudar.


Depois de pensar no que queria mudar em você há outra pergunta interessante. O que aconteceria se agora você recebesse uma oportunidade de mudar de vida? Uma das formas de se mudar de vida é ganhando muito dinheiro, boa parte das pessoas que se conhece hoje pensam ser esse o caminho das pedras. Mas nem todas se perguntam como seria se se tornassem realmente ricas. Onde morariam, o que comeriam, ondem trabalhariam, como fariam para manter o status quo. Sim, o que fariam para manter seu padrão de vida, enriquecer não é tão difícil assim, manter-se rico já parece ser um tanto mais complicado. Basta perguntar a uma grande maioria que ganhou nas loterias e hoje vive na pobreza.

Quando se quer mudar de vida, é necessário lembrar que algumas coisas da vida que leva-se hoje terão de ficar para trás. Se quiser ficar rico, a primeira coisa que terá de deixar é a vizinhança onde vive atualmente, talvez alguns lugares deverão deixar de ser frequentados, inclusive a casa de alguns amigos. Na verdade, alguns amigos irão se afastar por saberem que a diferença entre eles e você torna a convivência um tanto complicada. Indo um tanto mais fundo e sendo mais radical, alguns parentes, pessoas do seu sangue você não poderá mais visitar. Mudar de vida significa abandonar muitas coisas que fazem parte dela agora, e nem todos estão dispostos a sacrificar o que tem para sair de onde estão.

Além de mudar, é necessário fazer amarrações de modo que a mudança tenha sustentação. Ainda há pouco via no jornal as várias tentativas em se tirar os traficantes da vida das pessoas de comunidades pobres do Rio de Janeiro. Mas a maneira como era feito é que não estava certa. Os policiais entravam na comunidade, prendiam os bandidos e se certificavam de que estava tudo em paz. Depois disso deixavam a favela e tudo voltava ao “normal”, inclusive com uma nova facção criminosa que tomava lugar da que foi presa ou morta. Sustentar pode ser significado como aguentar, tornar comum essa nova situação de vida e alimentá-la. Aos que desejam a riqueza, recomenda-se cultivar o que faz parte desse mundo: a cultura, a leitura, as conversas, as pessoas com quem se convive. Se não estiveres disposto a assumir a condição da riqueza, provavelmente será difícili de “ser” rico.

A palavra mudança está na cabeça de muitas pessoas que buscam a terapia, muitas delas pedem com todas as letras: “Doutor, eu gostaria de ser diferente”. Mas nem todas elas, na verdade em sua maioria, não sabem que para ser diferente precisarão abandonar o que são hoje e adquirir as características do que desejam ser. Infelizmente, algumas coisas têm de ficar para trás, coisas que se gosta, pessoas que se gosta. Além de abandoar também é necessário assumir, tanto coisas que se gosta quanto coisas de que não se gosta. Mudar é deixar e assumir, o que e quem for necessário.
Por: Rosemiro A. Sefstrom
Postar um comentário