quinta-feira, 5 de junho de 2014

LEI DA ATRAÇÃO

Não são poucas as vezes que ouvi perguntas sobre mentalização, pessoas querendo saber o que é e como ela funciona. Por detrás desta técnica existe o que chamam de Lei da Atração, ou seja, aquilo que você pensa é o que você atrai. Segundo alguns, a teoria vai ainda mais longe: aquilo que você mentaliza se materializa. Dizem ainda que as pessoas de um modo geral não melhoram de vida porque não colocam isso em suas mentes, não colocam isso como futuro. Sendo assim, se penso que estou doente ou ficando doente, logo ficarei doente. Alguns podem dizer que não é tão simples assim, concordo. Mas há ainda a questão: e as pessoas que fazem mentalizações e nada acontece? Segundo os pregadores destas teorias, a pessoa está fazendo errado.

A Lei da Atração encontra seus opositores há muito tempo, entre as críticas à teoria, duas são interessantes e relevantes. A primeira crítica diz respeito a cientificidade do assunto: não há na física nada que possa provar que realmente o pensamento possa atrair algo, quanto mais materializar. Sendo assim, por falta de cientificidade a comunidade científica desacredita na Lei da Atração. Outra crítica, não menos verdadeira, é a de que este tipo de pensamento pode levar quem mentaliza a culpar a vítima. Como? É a história de pessoas que outorgam culpa aos outros, ou seja, se eu mentalizo só depende de mim, mas se não der certo outras pessoas receberão a culpa.

A Lei da Atração existe e pode ser provada cientificamente no que diz respeito à eletricidade e ao magnetismo. Ali sim, a lei realmente é uma lei. Pois lei é um processo científico que foi testado e comprovado como infalível, como a lei da gravidade. Até o momento não sabemos de alguém que conseguiu desfazer a gravidade. Só que, mesmo assim, ainda fica aquele ponto de interrogação sobre o fato do pensamento atrair ou não coisas boas e ruins.

Das várias formas de se trabalhar a questão do pensamento coloco duas, as mais comuns. O pensamento por si só é apenas pensamento de alguma coisa, mas algumas pessoas aprenderam a ligar o pensamento ao corpo, ou seja, o que elas pensam se reflete no corpo. Nestes casos, a força do pensamento está intimamente ligada ao corpo, se elas estiverem mal nos pensamentos provavelmente o corpo também estará mal. Este mal se manifesta de diversas formas, um deles é a afta na boca (alguns empresários devem saber do que estou falando). Há ainda a famosa gastrite, quando a pessoa está com a cabeça muito atribulada é o estômago o primeiro a dar o sinal. Para isto a explicação é muito simples: chama-se somatização, algumas pessoas conseguem fazer isto, outras não.

Outra maneira de se tratar disto é pela direção em que o pensamento está, pelos conteúdos que tenho no meu pensamento. Cada um durante o dia pensa em muitas coisas, alguns mais, outros menos. Mas, de qualquer forma o pensamento é pensamento de alguma coisa. Assim, quando eu passo o dia pensando nas minhas dívidas, no que tenho para pagar e não me concentro em outras coisas que tem o meu dia, provavelmente minhas dividas irão aparecer bem mais que todo o resto. É assim também com um namoro, o menino começa o relacionamento e logo pensa que não vai dar certo, está sempre tenso porque sabe que não vai dar certo. O seu pensamento, não por ser negativo, mas por tirar sua atenção ao momento faz com que ele torne-se uma péssima companhia e aí sim, pode dar tudo errado.

O pensamento positivo, ou seja, em torno de coisas que se quer, se deseja, são sim bons e deveriam ser cultivados. Ao cultivar bons pensamentos provavelmente terei sempre boas companhias, bons momentos. Ao pensar estou vivendo as situações, assim, quando o meu pensamento se colocar numa certa direção, antes mesmo de chegar lá já estarei vivendo o acontecimento, mesmo que nunca se torne material.
Por: Rosemiro A. Sefstrom Do site: http://rosemirosefstrom.blogspot.com.br/


Postar um comentário