sexta-feira, 25 de julho de 2014

PLANEJAMENTO

Planejamento: uma das palavras que acompanha a vida de muitas pessoas. Algumas porque gostam de saber quais pedras irão pisar, outras estão atadas ao planejamento para conduzirem uma equipe. O planejamento é uma ferramenta para a construção do futuro, ou seja, ele faz com que a pessoa ou equipe saiba claramente aonde quer chegar e o que tem que fazer para chegar lá. Além ter consciência para aonde se quer chegar, no planejamento também estão previstas as práticas que serão adotadas para se chegar ao lugar onde se deseja. Assim, o planejamento é a junção das buscas com o comportamento e função, ou seja, o que devo fazer para chegar onde quero. E, na prática o que acontece é um roteirizar, uma vez que toda a equipe ou pessoa com intenção de planejar faz um caminho futuro.

Mas, para planejar o futuro é preciso conhecer o passado ou saber de onde veio. Não que o passado seja uma condição para se construir um futuro, mas o passado dá indícios de quais ferramentas podem ser utilizadas no futuro. Apenas para comparação, é como se uma pessoa formada em matemática tivesse como desejo ser juiz. Nada a impede de seguir em direção ao seu objetivo, mas as ferramentas que ela possui no presente não estão de acordo. O passado ou a história é um farol que aponta erros e acertos, o que já fiz e o que posso fazer. Uma análise dos dados históricos pode mostrar que muitos sonhos, planos e desejos que uma pessoa ou empresa têm não estão de acordo com a sua realidade. O futuro projetado deve contar com uma projeção de quem serei quando chegar lá, como serei visto e como verei o mundo. Formular objetivos, planejar e colocá-los em prática nem sempre quer dizer evolução, melhora.

A elaboração de um planejamento é a maneira que algumas pessoas e empresas encontraram para não se perderem pelo caminho. Esses precisam de orientações claras para não ficar atirando para todos os lados, seguindo qualquer caminho que aparecer. Como o dito no começo, a elaboração de um planejamento existe para a construção de um futuro. Mas algumas pessoas e empresas fazem do planejamento não uma estratégia, mas um fardo, uma dificuldade a ser superada. O próprio planejar significa, em muitos casos, vendar os olhos para as possibilidades existentes. A pessoa sente-se presa, não tem a liberdade para avançar em outras direções, pois o planejamento disse que tem que seguir tal caminho.

As metas, os objetivos podem existir, mas o entendimento de que são guias para a caminhada tornaria a caminhada mais leve. Se algumas pessoas entendessem que os planejamentos são maneiras pelas quais se cria a realidade e não a própria realidade, viveriam muito melhor. Fazer da vida um meio para cumprir metas, objetivos pode ser muito desgastante.
Por: Rosemiro A. Sefstrom Do site: http://rosemirosefstrom.blogspot.com.br/
Postar um comentário