segunda-feira, 24 de março de 2014

RECOMPENSA

Ser líder em uma organização não é algo necessariamente fácil, muitas vezes são indispensáveis tomar certas atitudes que não agradam ao líder, mas são imprescindíveis ao bom funcionamento da organização. Em tempos de revolução industrial ser líder era basicamente fazer cumprir, mandar, obrigar e descartar os que não serviam. Já no século XX começa o movimento em que as lideranças passam a ser objetos de estudo, tendo obras de autores como Peter Drucker que conceituam uma liderança eficaz. No entanto, estas lideranças ainda eram observadas do ponto de vista da tarefa a ser desenvolvida. Já no final da década de noventa, início dos anos dois mil, uma nova corrente aponta o líder como alguém que congrega pessoas para conquistar objetivos. Esta pequena retrospectiva mostra que os tempos mudaram, as pessoas mudaram e as lideranças precisaram mudar para continuar atingindo seus objetivos dentro da organização.


No Brasil atualmente há uma dificuldade na retenção de mão de obra, as pessoas entram numa organização e logo estão de saída. Entre os vários motivos um deles chama a atenção: a dificuldade na ascensão dentro da estrutura organizacional, ou seja, a demora em ser promovido. Em tempos onde tudo precisa ser muito rápido, mostrar que mudar de posição dentro da empresa é lento pode realmente ser problemático. É justamente neste ponto que o líder pode entrar e exercer um papel fundamental na retenção das pessoas na organização, assim como encaminhar de volta ao mercado de trabalho os que não têm a ver com a empresa. O papel do líder agora, muito mais do que no passado, é formar as próximas gerações de líderes, mostrar o caminho que deve ser trilhado para chegar onde ele está e, principalmente, mostrando como é bom estar onde ele está.

Vamos fazer um raciocínio simples, imagine que eu sou um líder, mostro que o caminho até a liderança é difícil, um “vale de lágrimas”. Ainda mais, demonstro que ser um líder é resolver todos os problemas da empresa sem jamais ouvir um obrigado ou ser recompensado. Se um líder expressa isto com relação ao seu cargo ou à sua organização fica realmente bastante difícil captar ou reter talentos. Uma liderança é uma via de expressividade da organização com seus colaboradores, sendo que, quanto mais alto o posto ocupado por uma liderança, maior a responsabilidade com o que expressa para seus liderados. Muitos querem ser os proprietários da empresa porque entendem que a recompensa dos sacrifícios de ser donos são recompensadores mesmo que em muitas oportunidades o proprietário expresse que estar no seu lugar não é fácil, que teve muitas dificuldades até chegar onde está mas ainda assim vale a pena.

Desta forma, utilizar a expressividade enquanto líder como forma de mostrar que o caminho até chegar a um cargo de liderança não é fácil, mas que é recompensador, será também uma forma de reter os talentos. Existem muitas organizações nas quais colaboradores trabalham por muito tempo somente porque sabem que existe a possibilidade de assumir um cargo de liderança. Mas não porque querem ser líderes naquela empresa, mas porque as recompensas naquela organização estão além de qualquer dificuldade que exista pelo caminho. Expressividade não é somente falar, dizer, escrever, expressividade é algo que vem de dentro, algo que está em mim e vai em direção ao outro enquanto comunicação sincera.

Então, uma das formas de se captar ou reter futuros líderes é mostrar que o caminho até chegar pode ser um pouco difícil, exigente, mas que as recompensas serão muito maiores. Mostrar que minha empresa é um local onde eu quero estar, gosto de estar, que eu recomendo, esta é a postura de um líder que expressa ao seu colaborador como é bom estar na posição onde ele está. Dificilmente alguém irá querer algo que não gosta, usualmente se quer algo que se entende como bom.
Por: Rosemiro A. Sefstrom Do site: http://rosemirosefstrom.blogspot.com.br/

Postar um comentário