segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

POR QUE AMBIÇÃO E ÉTICA SÃO COMPATÍVEIS

Estranhar esta frase possui duas razões: um preconceito com relação à ambição e uma confusão entre ambição e ganância, que reforça o preconceito.

É bastante freqüente ouvirmos alguém dizer: - “Cuidado com fulano, ele é muito ambicioso”; ou, “Não gosto de tratar com pessoas muito ambiciosas, elas não têm limites”.

Para compreender que ambição e ética são perfeitamente compatíveis, basta deixar claro a diferença entre elas e as suas repercussões.
O conceito de ambição será para a nossa compreensão: “Atitude ética orientada para realizar e atingir metas e objetivos altamente significativos.” Derivada do latim a expressão que deu origem à palavra ambição tratava da ação de cercar por todos os lados as possibilidades de alcançar elevada condição.

Agora vejamos o conceito de ganância: “Atitude amoral orientada para a obtenção de ganho abusivo e antiético.”

Veja que é possível ser ambicioso sem prejudicar a ninguém, mas, todo ganancioso termina por lesar a alguém. As metas do ganancioso não são significativas no contexto social, são meramente egoístas e usurárias. Tanto é assim que a origem latina da palavra remete a agiotagem, usura (empréstimo de dinheiro a juros altos).

As vantagens e repercussões da ambição, entendida corretamente, são: 

• Foca as atitudes para a realização de metas ousadas e significativas.

• Predispõe a pessoa à busca por conquistas sucessivas e contínuas na direção de uma meta maior.

• Motiva a pessoa, porque metas de valor são perseguidas por pessoas de valor, pessoas que mantêm auto-estima elevada.

• Valoriza a vida e suas oportunidades mais dignas, propõe uma visão de carreira.

• Seus efeitos beneficiam não apenas a pessoa movida pela ambição, mas, traz conseqüências benéficas para um grupo muito maior de pessoas (aqui percebemos claramente a ética em sua tradução mais nobre).

• Pessoas ambiciosas se associam a outras pessoas ousadas com metas significativas, colecionam amigos pró-ativos e realizadores.

• Ambiciosos são freqüentemente convidados para novos projetos.

As desvantagens e repercussões da ganância, conforme definida, são:

• Mantém a pessoa presa em egoísmo profundo, buscando metas puramente individualistas.

• Foca a mente em um apetite, uma disposição a ganhar a qualquer custo.

• Caracteriza pessoas de baixa auto-estima que tentam se auto-afirmar vencendo por quaisquer meios as disputas com outras pessoas, não se importando com o que aconteça com elas.

• Gera um comportamento oportunista, ou seja, condiciona a uma utilização ilícita das oportunidades menos dignas, conduz ao carreirismo (atitude de quem utiliza métodos moralmente condenáveis para subir rapidamente).

• Seus efeitos prejudicam não apenas a pessoa movida pela ganância (que a longo prazo sempre paga um preço alto por sua ganância, sendo a solidão a exclusão do convívio das pessoas éticas o mais comum), mas traz conseqüências maléficas para um grupo muito maior de pessoas (aqui percebemos claramente a total ausência de ética face a análise das repercussões).

• Pessoas gananciosas associam-se a outras pessoas gananciosas. Quando vários egoístas se reúnem, manipulam uns aos outros para obter o que querem e uma vez conseguido o objetivo, abandonam a “vitima”. Gananciosos colecionam inimigos. 

• Gananciosos são rejeitados em novos projetos ou convidados por outros mais gananciosos que eles para servirem de trampolim.

Podemos afirmar que tudo o que se fez de grandioso no mundo se fez movido por uma ambição legítima e tudo o que de mais torpe aconteceu na história ocorreu e ocorre motivado pela ganância.

Ambição e ética são perfeitamente compatíveis. Com elas construímos um mundo melhor. Aos que preferirem apostar na ganância, apenas uma reflexão: A ganância é irmã gêmea do egoísmo, e as pessoas gananciosas, com talento e competência, são equivalentes a uma Ferrari sem freios, basta imaginar as conseqüências.

Por:Carlos Hilsdorf
Postar um comentário